As atuações de Madonna

Universal Music

Madonna é a artista de maior sucesso na história da música pop. A única da geração 80 que continua no topo das paradas com seus álbuns e turnês. Além, é claro, de suas habituais polêmicas. Como atriz, Madonna não teve o mesmo sucesso. Apesar de ter em sua filmografia êxitos como Procura-se Susan Desesperadamente e Evita, a quantidade de longas reprovados pela crítica e ignorados pelo público é superior. Premiada por duas vezes no Globo de Ouro – uma pela atuação em Evita e outra pela canção Masterpiece -, Madonna foi 16 vezes (!) indicada ao Framboesa de Ouro, que “premia” os piores do ano no cinema, tendo “vencido” em nove oportunidades. Continuar lendo As atuações de Madonna

Anúncios

Cláudia Abreu em seis tempos

claudia_abreu_01
Foto – Revista Claudia

Protagonista da atual novela das 21h da Globo, A Lei do Amor, a carioca Cláudia Abreu comemora hoje 46 anos. Com uma carreira que atravessa três décadas de sucessos, a atriz coleciona grandes atuações em cinema, televisão e teatro. Indo do drama a comédia com extremo talento. Além do trabalho na novela, Cláudia estreia como roteirista com a produção infantil Valentins do canal Gloob – em parceria com sua produtora, a Zola, e no cinema com os filmes Berenice Procura e O Rastro, e outros dois em desenvolvimento: Derrapada – adaptação do livro Slam de Nick Horney, e a muito adiada versão para os cinemas da novela Cheias de Charme.

Confira seis personagens que mostram toda a versatilidade da atriz. Continuar lendo Cláudia Abreu em seis tempos

Aniversariante do dia: Patricia Pillar

patriciapillar_05

PATRICIA PILLAR, uma das mais belas, talentosas e carismáticas atrizes brasileiras, completa hoje 52 anos. Com atuações destacadas em teatro, cinema e televisão, a artista nascida em Brasília coleciona trabalhos elogiados por crítica e público. Minha primeira memória de Pillar remete a novela de 1990, Rainha da Sucata. Na produção assinada por Silvio de Abreu, Patricia interpretou Alaíde, garota que trabalhava na casa dos falidos Albuquerque Figueroa, e não levava para casa os desaforos da preconceituosa – e inesquecível – Laurinha (Glória Menezes). Antes desse trabalho, a atriz já havia atuado em novelas como Roque Santeiro Brega & Chique, além de apresentar FM TV na Manchete e Video Show (Globo), e atuar no teatro em peças como Estúdio Nagazaki (1986) e O Máximo (1989). Continuar lendo Aniversariante do dia: Patricia Pillar

Fique de Olho: Yvonne Strahovski

yvonne_24horas_01
A atriz como Kate Morgan em 24 Horas / Foto: Fox

Ponto alto da nova temporada de 24 Horas, atriz alia beleza e força na medida certa

Um dos grandes destaques da minissérie 24 Horas: Viva Um Novo Dia (24: Live Another Day) – arco de 12 episódios que retoma a cultuada série estrelada por Kiefer Sutherland, a australiana Yvonne Strahovski de 31 anos chama a atenção do público não apenas por suas formas perfeitas, mas também pelo gosto por personagens fortes. Antes de chegar a 24 Horas como a agente da CIA Kate Morgan, Yvonne já havia se destacado no mundo das séries de televisão com duas produções: Chuck, comédia de ação que estrelou por cinco temporadas, e Dexter, drama do canal Showtime em que atuou nas temporadas 7 e 8 – as duas últimas da produção.

Experimentando as telonas

yvonne_02
Maxim

Com ascendência polonesa – ela fala fluentemente o idioma do país, Yvonne estreou nos cinemas de forma discreta em 2007 no thriller A Face Oculta do Mal. Paralelamente aos trabalhos nos seriados televisivos, participou dos longas Os Especialistas – ao lado de Robert De Niro, Jason Statham e Clive Owen, e Minha Mãe é Uma Viagem, comédia protagonizada por Barbra Streisand e Seth Rogen. Neste ano marcou presença em Frankenstein: Entre Anjos e Demônios, ação com Aaron Eckhart que passou em branco pelos cinemas mundiais. Com um possível retorno a 24 Horas em aberto – já que ainda não foi oficializada  a possibilidade de renovação do seriado no próximo ano, Yvonne se dedica a tela grande, com o suspense Manhattan Nocture, em que divide cenas com Adrien Brody – vencedor do Oscar por O Pianista, e Jennifer Beals, a eterna Alex de Flashdance.

24 Horas: Viva Um Novo Dia tem exibição no canal fechado Fox – que já transmitiu os 12 episódios da minissérie, e estreia na Globo no próximo domingo, 23h.

Dez atrizes inesquecíveis do cinema clássico de Hollywood

Elizabeth Taylor

Disque Butterfield 8 / Cleópatra / Quem Tem Medo de Virginia Woolf? – Warner / Fox / Warner

A estrela dos olhos de cor violeta conquistou dois prêmios Oscar – por Disque Butterfield 8 e Quem Tem Medo de Virginia Woolf? -, maridos, foram sete, além de grandes clássicos do cinema como Um Lugar ao Sol, Assim Caminha a Humanidade e Cleópatra. Pelo épico, que quase faliu a Twentieth Century Fox, Taylor recebeu o maior salário para uma atriz naquela época: um milhão de dólares. Foi indicada ao Oscar em outras duas oportunidades. Nos aclamados Gata em Teto de Zinco Quente e De Repente, No Último Verão. Melhor amiga de Montgomery Clift, seu parceiro em diversos sucessos, Taylor passou a década de 80 dedicada apenas a trabalhos televisivos, retornando e se despedindo das telonas em 1994 como a sogra de John Goodman (Fred) em Os Flintstones – O Filme. Faleceu em março de 2011 aos 79 anos.

Continuar lendo Dez atrizes inesquecíveis do cinema clássico de Hollywood

Destaque do mês – Angelina Jolie comemora 37 anos nesta segunda-feira

Divulgação

Angelina Jolie é o tipo de atriz que dispensa apresentações. Musa máxima do cinema contemporâneo, maior estrela de Hollywood, e  também respeitada por seu trabalho humanitário junto a ONU, ela completa hoje 37 anos.

A seguir veja cinco trabalhos  marcantes de sua filmografia, mas que geralmente não são lembrados com a mesma regularidade que seus filmes mais populares.

O Homem que não Vendeu sua Alma (George Wallace, EUA, 1997) Direção John Frankenheimer. Minissérie do canal norte-americano TNT sobre a trajetória de vida de George Wallace, que por três mandatos foi governador do Alabama. Jolie rouba a cena como a solar Cornelia Wallace, segunda mulher do político, tendo recebido o Globo de ouro como melhor atriz coadjuvante e indicação ao Emmy na mesma categoria. Com Gary Sinise e Mare Winningham.

Divulgação – TNT

Corações Apaixonados (Playing by Heart, EUA, 1998) Direção Willard Carroll. Jolie se destaca no numeroso e estrelado elenco – Sean Connery, Gena Rowlands, Gillian Anderson, Dennis Quaid, Madeleine Stowe, Rya Phillipe, Ellen Burstyn, Nastassja Kinski e Patricia Clarkson – como a apaixonada e apaixonante Joan, garota decidida e sem preconceitos. Por seu sensível desempenho a atriz foi escolhida pelos membros do National Board Review como um dos destaques de 1998, com o prêmio breakthrough performance.

Divulgação – Miramax

O Colecionador de Ossos (The Bone Collector, EUA, 1999) Direção Phillip Noyce. Foi com a corajosa e inteligente policial novata Amelia Donaghy do suspense policial O Colecionador de Ossos que Angelina conquistou seu primeiro sucesso internacional de bilheteria. Com mais de US$ 151 milhões arrecadados ao redor do mundo, a produção que a reuniu com Denzel Washington, que a considera uma das melhores atrizes com quem trabalhou, já comprovava que Jolie possuía a firmeza necessária para ser uma genuína estrela de filmes de ação.

Divulgação – Sony

O Bom Pastor (The Good Shepherd, EUA, 2006) Direção Robert De Niro. Angelina esteve brilhante como Margareth “Clover” Wilson, esposa traída e desprezada de Edward Wilson (Matt Damon) no drama de espionagem que marcou a segunda incursão de Niro na direção. A atriz construiu acertadamente cada etapa de vida da personagem, expondo com propriedade a transformação que um casamento infeliz pode causar em uma mulher. Injustamente o notável trabalho de Angelina passou despercebido pelas principais premiações daquele ano. Com Alec Baldwin, William Hurt e Joe Pesci.

Divulgação – Universal

O Preço da Coragem (A Mighty Heart, EUA/Inglaterra, 2007) Direção Michael Winterbottom. Em uma de suas atuações mais contidas e emocionantes, Angelina interpreta com maestria e sensibilidade a jornalista francesa Mariane Pearl, que grávida tem que enfrentar a dor de ter seu marido Daniel Pearl sequestrado e posteriormente assassinado no Paquistão por terroristas. Contado em tom de documentário, o filme rendeu a Jolie indicações ao Globo de Ouro, Screen Actors Guild e Independent Spirits como melhor atriz, além de um prêmio especial no Festival de Santa Barbara. Com Dan Futterman e Irrfan Khan.

Divulgação – Paramount

Leia também: Perfil – Angelina Jolie

Confira os próximos projetos cinematográficos de Angelina Jolie

Divulgação

A bela Angelina Jolie completa neste sábado, quatro de junho, 36 anos. Ícone incontestável do cinema contemporâneo, a atriz possui projetos em desenvolvimento e prestes a estrear nos próximos meses. Veja os novos desafios da estrela.

Kung Fu Panda 2   

A sequência do sucesso de 2008 estreou nos EUA na semana passada conquistando a aprovação da crítica e a segunda posição no “Box Office” com 47,65 milhões de dólares em três dias. A produção que chega ao Brasil na próxima sexta-feira, 10 de junho, traz novamente Jolie como a Tigresa que junto do panda Po e os demais quatro samurais terão que defender a China do vilão Lorde Sheen, disposto a conquistar a região a qualquer custo. O elenco de dubladores têm também Jack Black, Dustin Hoffman, Gary Oldman, Jackie Chan, Lucy Liu, Michele Yoh e Jean Claude-Van Damme. Kung Fu Panda 2 é o quarto longa ao qual Angelina empresta sua sedutora voz.

In The Land of Blood and Honey

O drama que narra a história de amor entre um sérvio (Goran Kostic) e uma jovem muçulmana (Zana Marjanovic) tendo como pano de fundo a Bósnia antes da guerra étnica em 1992, marca a estréia de Angelina Jolie como diretora e roteirista. Com a estréia norte-americana marcada para o dia 23 de dezembro deste ano, o longa independente possui um competente grupo de profissionais nos bastidores. A produção ficou a cargo de Graham King, Oscar de melhor filme por Os Infiltrados de Martin Scorsese, através de sua produtora a GK Films, mesma que produziu o equivocado O Turista, que apesar das críticas desfavoráveis foi indicado a três prêmios Globo de Ouro e rendeu em sua bilheteria internacional 278,30 milhões de dólares, comprovando a força de Jolie junto ao público mundial. In The Land of Blood and Honey têm direção de fotografia de Dean Semler, Oscar por Dança com Lobos e trilha sonora composta por Gabriel Yared, indicado a três prêmios Oscar e vencedor por O Paciente Inglês. A estréia de Angelina como diretora parece promissora, tanto que ela pretende dirigir Anthony Hopkins em Churchill and Roosevelt, que abordará os bastidores políticos da época.

Leia também: Perfil Angelina Jolie

Cleópatra

James Cameron e Paul Greengrass foram convidados e recusaram a oportunidade de dirigir Angelina Jolie como a rainha do Egito Cleópatra no filme homônimo e que adapta o “best-seller” de Stacy Schiff, Cleopatra: A Life. David Fincher, amigo pessoal de Jolie, segue em negociações com o produtor Scott Rudin para assumir o comando do filme, que têm estréia em 3D prevista para 2013. Em oposição aos longas anteriores, com destaque aos de 1945 e 1963 estrelados respectivamente por Vivien Leigh e Elizabeth Taylor, o novo projeto centrará suas atenções nas ações políticas da imperatriz, em sua força como mulher e mãe.

“(Cleópatra) foi uma mãe muito forte. Ela falava cinco línguas e era uma líder.”

– Angelina Jolie sobre sua pesquisa a respeito da imperatriz do Egito ao jornal britânico The Telegraph

Angelina no set de filmagens de In The Land of Blood and Honey

Maleficent

Desde 2009 a Disney segue desenvolvendo uma nova versão para o conto A Bela Adormecida, que teve sua versão mais famosa em 1918 pelas mãos dos Irmãos Grimm. O diferencial do novo projeto é a abordagem da história, tendo como personagem principal a bruxa Malévola, papel que segue no colo de Angelina Jolie, e uma atmosfera sombria. Brad Bird (Os Incríveis) e Tim Burton, que comandou no ano passado a adaptação de Alice no País das Maravilhas e está acostumado com o visual gótico de produções como Batman e A Lenda do Cavaleiro sem Cabeça, foram nomes cotados para assumir a direção do longa. Ambos optaram por seguir para outros projetos. Darren Aronofsky, diretor do fantástico Cisne Negro, é o nome da vez para comandar Maleficent que terá roteiro de Linda Woolverton (Alice no País das Maravilhas) e estréia prevista para 2013.

Kung Fu Panda 2 estreia nos cinemas brasileiros em 10 de junho.

Angelina Jolie em The Tourist

Fotos: Reprodução
Fotos: Divulgação

The Tourist“, a refilmagem do thriller francês “Anthony Zimmer: A Caçada“, que vem rodando por Hollywood desde 2007, pode ganhar Angelina Jolie no elenco. O longa que no momento não possui diretor confirmado, tem como trama o jogo de sedução de uma agente da Interpol com um turista americano. Ele se apaixona, ela quer apenas investigar um caso e o usa.

O papel seria da atriz sul-africana Charlize Theron, que desistiu do projeto sem especificar o motivo. Jolie e Charlize, segundo a imprensa, disputam mais dois papéis: protagonista da adaptação literária “Atlas Shrugged” e Mulher-Gato num possível “Batman 3“.

Sam Worthington, protagonista do esperado “Avatar” de James Cameron, interpretará o turista americano “usado” pela personagem de Angelina, caso a atriz aceite o convite. As filmagens devem começar apenas em 2010. Ano que a atriz lança “Salt“, thriller dirigido por Phillip Noyce (“O Colecionador de Ossos“).

Opinião: Jolie é minha atriz preferida e Worthington se mostrou competente e a única “coisa” boa no decepcionante “O Exterminador do Futuro: A Salvação“. Espero que o projeto vá adiante e não vire mais um boato como muitos filmes em que Angelina estaria em negociações eternas. No caso “Sin City 2” e já mencionado “Atlas Shrugged“.

Atualização: 05 de novembro
The Tourist: Johnny Depp no elenco?

Segundo o site da Variety, Sam Worthington abandonou “The Tourist“. Johnny Depp está em negociações para assumir a vaga deixada por ele no longa estrelado por Angelina Jolie. As filmagens começam em fevereiro, nos próximos dias teremos confirmações. A direção será do diretor alemão Florian von Donnersmarck.

Um sonho feito realidade ver Jolie e Depp juntos!

Nicole Kidman: O Show tem que Continuar

nicole_kidman_nine_01
Sony Pictures

Adoro o trabalho de Nicole Kidman. Atriz talentosa e com uma beleza clássica. Sua melhor fase, sem dúvidas, foi o início dos anos 2000. “Moulin Rouge!”, “Os Outros“, “As Horas”, “Dogville”, sem esquecer de produções marcantes que vieram antes, como “Terror a Bordo”, “Um Sonho sem Limites”, “Retrato de Uma Mulher” e “De Olhos Bem Fechados“. Infelizmente, ultimamente ela vem alternando projetos equivocados como “Mulheres Perfeitas”, “A Feiticeira” e “Invasores”, com poucas boas produções como “Reencarnação” e “Margot e o Casamento”.

Neste ano, a atriz retorna aos musicais como a musa de Guido Contini (Daniel Day Lewis) em “Nine“, de Rob Marshall. O filme estreia nos cinemas norte-americanos em 25 de novembro. Kidman como Satine em “Moulin Rouge!” foi sensacional, encantadora, além de uma belíssima voz e impressionante presença de palco.  A verdadeira Nicole é a dos grandes filmes e interpretações, não a que vimos em produções menores – em qualidade – como os já citados tropeços. E que venha “Nine” e seu elenco estelar – Marion Cotillard, Penélope Cruz, Judi Dench, Sophia Loren, Kate Hudson.

Batman de Tim Burton completa 20 anos

batman_01
Warner

Produção milionária, astros badalados, um diretor conceitual, muita polêmica e expectativa. Esse foi o cenário da estreia mundial de “Batman” em junho de 1989, adaptação da criação de Bob Kane dirigida por Tim Burton sob o olhar atento dos executivos da Warner Bros. O resultado, um longa de qualidade técnica impecável – como todos com a assinatura de Burton, mas com alguns problemas de narrativa e a falta de grandes sequências de ação. Sim é uma adaptação, mas para que colocar o Coringa como o assassino dos pais de Bruce Wayne?

Jack Nicholson como o insâno Coringa rouba o show, como já era o esperado. A musa Kim Basinger, no auge da beleza, desfila sensualidade pela soturna Gotham City idealiza por Anton Furst – premiado com o Oscar. E Michael Keaton? Bom, Keaton se saiu bem como o introspectivo Bruce Wayne e sua faceta vigilante, apesar da armadura do herói parecer uma camisa de força. O genial tema composto por Danny Elfman conquistou até os críticos mais ferrenhos do longa, foi um trabalho de mestre. Segunda maior bilheteria dos heróis DC nos cinemas, o “Batman” de Tim Burton marcou uma geração e originou uma sequência superior e inspiradissíma: “Batman – O Retorno“, que nos trouxe a Mulher-Gato definitiva sob o pêlo de Michelle Pfeiffer. Mas essa, é história para outro batpost! Continuar lendo Batman de Tim Burton completa 20 anos